O hábito de fumar predispõe ao câncer, mas como? E o o HIV, o que tem a ver com isso?

Autor:

Isto parece óbvio e intuitivo à maioria das pessoas. Afinal de contas, as pessoas “inalam” uma substância não natural e tóxica e os pulmões devem sofrer. Bronquite crônica, enfisema, câncer de pulmão (?). Mais impressionante ainda, é que o hábito de fumar favorece (ou se associa) outros tipos de cânceres, como câncer de laringe, boca, bexiga, pâncreas, cérebro, mamas, cólon, fígado, ovário, estômago, e tireoide. Algumas substâncias dos cigarros podem estar envolvidas com este processo? Parece que é tudo um pouco mais complexo do que isso.

Existe uma proteína que é produzida pelas nossas células e que nos protege contra as células cancerígenas que produzimos todos os dias. O nome desta proteína é p53. Ela é chamada de “proteína supressora dos tumores”; nossa defesa. Temos alguns genes que se relacionam com desenvolvimento de canceres, como o de pulmão e todos os outros acima. A p53 silencia (mantém quietinhos) os genes que alguns de nós temos e que aumentam a chance de termos alguns canceres.
Existe também um mecanismo que faz com que os nossos genes fiquem silenciados. Um deles é chamado de metilação. Parece complicado, mas algo do meio ambiente pode aumentar a metilação e silenciar alguns de nossos genes, diminuído a produção de proteínas. Pois bem, estudos recentes apontam que o tabaco aumenta a metilação do gene que produz a proteína p53! Isto significa que o tabaco (ainda não sei como, mas vou tentar descobrir), tira as nossas defesas naturais contra alguns cânceres diminuindo a quantidade da nossa proteína supressora dos tumores.

Mas o que isso tem a ver com a infecção pelo HIV, que é o tema de nossa discussão neste site? Bom, muitos estudos científicos apontam que as pessoas infectadas pelo HIV têm um risco maior de desenvolverem cânceres que não necessariamente se relacionam com a deficiência de imunidade que o HIV proporciona nas pessoas. Isto é na verdade um conhecimento relativamente novo. Quando a deficiência imunológica proporcionada pelo HIV é intensa, alguns canceres ditos “oportunistas” se manifestam, como o sarcoma de Kaposi e os diversos linfomas. Mas os canceres não oportunistas também aparecem com maior frequência entre as pessoas que vivem com HIV. Entre eles, o câncer de pulmão e os canceres ginecológicos em mulheres. A primeira vista poderíamos pensar que os canceres de pulmão estão mais presentes em quem tem HIV porque as pessoas infectadas por este vírus fumam mais (verdade!). Da mesma forma, canceres ginecológicos como o câncer de colo de útero em mulheres são causados pelo vírus do papiloma humano (HPV), que também é sexualmente transmissível. Logo, quem tem um vírus sexualmente transmissível, tem uma chance maior de ter outro vírus sexualmente transmissível (verdade também). Mas os resultados dos estudos que mostram maior incidência de câncer de pulmão ou câncer ginecológico em quem tem HIV fazem análises estatísticas mostrando que isto ocorre de forma independente do tabagismo ou da presença de HPV. Em outras palavras, em um mesmo nível de tabagismo, quem é portador do HIV teria maior chance de ter câncer de pulmão.

Uma boa notícia é que quando uma pessoa para de fumar, os riscos de câncer de pulmão passam a ser iguais aos das pessoas que não fumam após 5 anos de abstinência do tabaco. Tudo voltaria ao normal, portanto, após 5 anos. Entretanto, um estudo recente entre portadores do HIV que eram tabagistas, demonstrou que após 2 anos, a incidência de canceres relacionados ao tabagismo (todos os outros, exceção ao câncer de pulmão) volta a ser igual ao das pessoas que nunca fumaram após 2 anos de interrupção ao tabagismo, o que é uma ótima notícia (Shepherd L, et al, 2017). Infelizmente, em contraste ao que vimos entre as pessoas que não estão infectadas pelo HIV, a incidência de câncer de pulmão não diminui entre estas pessoas. Provavelmente existe uma associação muito ruim entre o HIV e o próprio câncer de pulmão que é difícil de ser mitigada mesmo com a interrupção do hábito de fumar.

Referência
Shepherd L, et al. 24th CROI; Seattle, WA; February 13-16, 2017. Abst. 131